Pinhão

Pesquisa > Pinhão

fotocopaaraucariaO pinhão faz parte da cultura regional do RS. Semente da conífera brasileira Araucaria angustifolia, é consumido desde o início da ocupação humana do território das Matas de Pinheirais, no planalto riograndense, pelos índios da Tradição Taquara primeiramente e depois pelos Kaingang,. Também os imigrantes europeus o consumiram, introduzindo, porém, uma nova relação com o meio: o abate das árvores para a construção de casas, móveis, dormentes e mais adiante, para o fabrico de papel. Essa abordagem predatória da floresta, associada ao desenvolvimento das forças produtivas, ameaça de extermínio o bioma da Ombrófila Mista, repercutindo em toda a extensão da biodiversidade animal e vegetal. Constitui assim uma questão da maior importância no que diz respeito ao meio-ambiente de nosso estado.

fotooficinapinhaoFazer papel artesanal de pinhão constitui uma oportunidade de reflexão e conscientização. Professores, artistas, designers e artesãos podem, através deste recurso, agregar esse valor ético a seu trabalho.

A Papeloteca vem realizando a pesquisa do papel artesanal de pinhão desde 2005. As primeiras tentativas foram com os métodos tradicionais de cozimento alcalino com cinzas. Também usamos a soda cáustica. A partir do trabalho de pesquisas em tingimentos naturais de Eder da Silveira, experimentamos o sal amoníaco, que ofereceu resultados satisfatórios, além de fornecer tintura vegetal.

cartazpinhaoavistaConcluída a etapa da pesquisa, buscamos parceiros para aplicar nossa proposta em um contexto sócio-educativo. Ex-alunas da Usina do Papel estavam desenvolvendo em 2010 o Projeto Barco de Papel, em Gravataí, ministrando oficinas para adolescentes em situação de risco. Simultaneamente, um estudante de design da Arquitetura da UFRGS buscou-nos, por desejar desenvolver seu TCC sobre papel, mas que agregasse uma repercussão de cunho social.

Nasce assim o Projeto Pinhão à Vista. Um ano de trabalho coletivo propiciou a realização de uma marca, o desenvolvimento de produtos, uma exposição itinerante e em junho de 2012 oferece, no formato de ebook gratuito, um passo a passo ilustrado, fotos e anotações de pesquisa. Material para fazer, para ler e para ver. Solicite pelo e-mail celinacabrales@gmail.com.

Posts Recentes